NOTÍCIAS

10 cervejas pra você degustar no Mondial de la Bière

04/09/2019 Fonte: RIO etc

Começa nesta quarta-feira (4) e vai até domingo (8), no Píer Mauá, a sétima edição carioca do Mondial de la Bière, evento dedicado às cervejas artesanais. São mais de 1.500 rótulos disponíveis. Pra não deixar ninguém perdido diante de tanta fartura, pedimos ajuda ao jornalista e sommelier de cervejas Pedro Landim (@bocanomundo), que criou esta lista. Um pequeno guia para você se divertir e beber bem.

1 – Pra começar na onda das “azedinhas e refrescantes”, a sugestão é a sour ale Devora Agora, da cervejaria Thirsty Hawks. Com apenas 4,2% de álcool, é pra abrir os trabalhos. Leva baunilha, frutas vermelhas (amora, framboesa e mirtilo) e lactose, que dá um tom mais sedoso à cerveja. E você aí achando que era impossível fazer amigos bebendo lacotse, hein?!

2 – A Sundog preparou para o Mondial a Ode a Ninkasi, uma aula de história em forma de cerveja. Recorrendo a historiadores, seus mestres cervejeiros foram em busca da fórmula daquela que é considerada a primeira cerveja da história, criada por volta do ano 5 mil antes de Cristo na Suméria (região hoje ocupada por Kwait e Iraque). O nome é uma homenagem à deusa suméria da cerveja, Ninkasi. “É para experimentar não apenas pela história que carrega, mas porque o pessoal da Sundog faz cervejas muito boas”, indica Pedro Landim.

3 – Rock Me Baby (cervejaria Antuérpia). Trata-se de uma American Barley Wine. A fórmula leva uísque bourbon (Jack Daniels) e descansou em barris que anteriormente haviam guardado bourbon. Tem ainda coco queimado na mistura. “É encorpada, com seus 12% de volume alcoólico. E deliciosa, com esse sabor de coco queimado/caramelo forte. É uma cerveja pra beber em pequenos goles”, ensina Landim. Foi uma das 10 medalhistas de ouro do último Mondial de la Bière de São Paulo.

4 – Vale a pena ficar de olho na Derealization, lançamento da Hocus Pocus para o Mondial, e já nasce com a expectativa de se tornar uma queridinha dos consumidores por suas características: leva apenas um malte, o Maris Otter, que dá uma base nobre à cerveja, e um lúpulo, o Mosaic, um dos preferidos do pessoal de lá. “Este é um lúpulo muito frutado e cítrico, ou seja, vai ser uma American IPA muito aromática e bem feita, porque os caras são muito bons. E aqui eles buscam o clássico, não há o rebuscamento que eles costumar dar às suas IPAs”, aposta Pedro.

5 – A Suddenly Brett, da cervejaria Overhop, tem 10% de álcool e “abre novas portas no paladar”, segundo nosso amigo sommelier. Depois de um ano de maturação, foi fermentada durante mais um ano em barril de carvalho. Em seguida, uma segunda fermentação com uma levedura selvagem, que trouxe aromas complexos à cerveja. “É pra você beber prestando atenção e pensando, bem devagar, deixando ela passear na boca. É um troço diferente. Com notas de oxidação, frutas secas, lembra um vinho Jerez”.

6 – O estande da pioneira cervejaria curitibana Bodebrown já se tornou parada obrigatória no Mondial. Sua Cacau IPA (como o nome diz, uma IPA com cacau) é considerada uma das melhores do país, independentemente de modismos. No evento deste ano, vão servir uma versão envelhecida em barril de carvalho francês que havia sido de vinho Cabernet Sauvignon antes, a Cacau IPA Wood Aged. Feita em colaboração com a americana Stone Brewing, já é uma atração à parte.

7 – A Rota Cervejeira do Rio, que reúne as cervejarias da região serrana e faz sempre uma cerveja colaborativa entre todas elas, vai apresentar a FlorAPA da Serra. Trata-se de uma Fresh Hop Beer – algo até então quase inédito no Brasil, já que utiliza flores de lúpulo frescas. Isso só é possível se você tem uma plantação, como recentemente passou a ser o caso da região serrana fluminense. Uma APA leve e fácil de beber. Segundo os produtores, seus aromas refletem o terroir da região e lembram manga carlotinha.

8 – Cervejaria Dádiva, de São Paulo e seu trio de RIS (Russian Imperial Stout) envelhecidas em barris de carvalho. A Dragon Flies High Breakfast tem adição de café da Fazenda Ambiental Fortaleza e xarope de maple canadense.

9 – O sempre belo estande da carioca Wonderland, de excelente apuro visual e de conceito, vale a visita. Porque, além de as cervejas também serem muito boas, serão lançadas três sour, leves e azedinhas. Uma leva cacau e cupuaçu; outra, morango e goiaba; e a terceira mistura isso tudo. Além disso, eles levarão randalls para temperar ainda mais as cervejas, um equipamento que adiciona especiarias na hora que o chope é tirado.

10 – Essa é pra quem quer sentir um gostinho de infância: Paranoid Popcorn, da Three Monkeys. É do estilo Russian Imperial Stout (RIS), aquelas escuras, densas, alcoólicas e achocolatadas. O nome não é por acaso, já que ela leva na fórmula a pipoca orgânica Mais Pura, sabor caramelo e flor de sal. Pedro Landim provou e garante: “É deliciosa, dá um aconchego. Foi uma das melhores que bebi este ano. Essa cerveja é para você beber de sobremesa no Mondial.” Por isso fica aqui como a última dica da lista. Cheers!

Leia também

USE AS TAGS #MONDIALDELABIÈRERIO E #MONDIALDELABIÈRERIOEUVOU E COMPARTILHE SEU AMOR POR CERVEJAS ARTESANAIS.

Informações, Dúvidas e SAC:
+55 (21) 2442 9319
comunicacao@mondialdelabierebrasil.com.br
Atendimento: 10h às 18h.
Endereço escritório:
Av. Salvador Allende, 6.555
Barra da Tijuca – 22783-127

GL events LE S/A – CNPJ 05.494.572/0001-98